Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Transcritório - Traduções Low-Cost

Traduções oficiais. Línguas: Português, Inglês, Francês, Italiano, Alemão e Espanhol (incluindo catalão). Se precisar de outras línguas, contacte-nos.

Transcritório - Traduções Low-Cost

Traduções oficiais. Línguas: Português, Inglês, Francês, Italiano, Alemão e Espanhol (incluindo catalão). Se precisar de outras línguas, contacte-nos.

TRANSCRITÓRIO - TRADUÇÕES LOW-COST https://www.transcritorio.com/
14.07.18

SAIBA COMO SE COMPORTAR NUMA ENTREVISTA DE EMPREGO

Transcritório - Traduções Low-Cost

Como se comportar numa entrevista de emprego: antes, durante e depois

Foi chamado para entrevista, preparou-se, chegou a horas, desligou o telemóvel, está vestido de forma adequada e até trouxe uma cópia do seu currículo para entregar ao recrutador. E agora? Agora, continue a ler e saiba como se comportar numa entrevista de emprego. Um especialista em recursos humanos saberá analisar o seu comportamento ao detalhe.

Saber como se comportar numa entrevista de emprego é tão importante como apresentar um bom currículo. Não deixe escapar a oportunidade!

SAIBA COMO SE COMPORTAR NUMA ENTREVISTA DE EMPREGO


ENQUANTO ESPERA QUE O CHAMEM

Durante a espera, controle a ansiedade. Andar de um lado para outro ou roer unhas são atitudes que não o vão ajudar em nada. Sente-se confortavelmente e mantenha-se tranquilo. Evite uma postura rígida, mas sem exageros! Não está no sofá de casa.

Sempre que sentir que alguém vai aparecer, não se levante num salto a pensar que poderá ser o entrevistador. Espere tranquilamente até que lhe dirijam a palavra e só nessa altura é que deverá levantar-se.

Não estique logo a mão para o recrutador, espere que seja ele a tomar a iniciativa. Ao cumprimentar, faça-o com um aperto de mão firme e sorria. Transmita à pessoa que o vai entrevistar a sua energia positiva e vontade de estar ali.

É certo que a entrevista ainda não começou, mas as suas ações já começaram a contar e é fundamental perceber como se comportar numa entrevista de emprego.

AO DIRIGIR-SE PARA O LOCAL DA ENTREVISTA

Deve deixar passar o recrutador à frente quando se dirigem para o local da entrevista, a não ser que este lhe abra a porta e lhe faça sinal para passar.

Normalmente, é indicado um lugar onde se pode sentar. Se tiver escolha, prefira um lugar de onde consiga ver facilmente o seu entrevistador.

entrevista de emprego

DURANTE A ENTREVISTA

1. Postura

Este ponto é muito importante para saber como se comportar numa entrevista de emprego. A sua postura e linguagem corporal devem transmitir, essencialmente, que está à vontade. Evite uma postura rígida, muito esticado e de costas coladas à cadeira. Tente deixar o nervosismo de lado e aja de forma descontraída.

Com o avanço da entrevista, vai sentir-se mais à vontade. Use as mãos para fazer gestos, para sublinhar coisas ou para ajudar às suas explicações. Não fique sentado sem se mexer, mas também não exagere!

2. Contacto visual

Faça contacto visual com o entrevistador, mas não fixe o seu olhar, pois poderá causar uma situação de desconforto para quem o está a entrevistar. Mas também não esteja constantemente a desviar o olhar porque, para além de ser um sinal de insegurança, poderá também dar a sensação de que está a esconder ou a mentir sobre alguma coisa.

Se forem vários entrevistadores, olhe para cada um deles mais ou menos em igual medida. Comece com quem lhe faz a pergunta e, de forma rápida, olhe a seguir para cada uma das outras pessoas.

Quando olha para o outro está a trocar impressões. Por isso, de vez em quando, diga que sim com a cabeça. Se inclinar a cabeça um pouco está a dar sinal de que está interessado e a ouvir com atenção.

3. Expressões faciais

Durante a conversa, sorria de vez em quando para mostrar a sua confiança e à vontade. Mas não o faça constantemente, pode obter o resultado contrário e o recrutador ficar a pensar que esteve a sorrir para esconder o seu nervosismo e insegurança.

Cuidado com o que faz com a cara! Por exemplo, quando o entrevistador estiver a falar, é melhor não levantar as sobrancelhas. Isso poderá indicar que está a questionar o que está a ser dito ou a desafiar quem o está a entrevistar.

AO TERMINAR A ENTREVISTA

Despeça-se cordialmente e com tranquilidade. Não se mostre demasiado ansioso e refira que fica a aguardar um contacto.

Veja também:

10.07.18

DIREITOS E OBRIGAÇÕES DE QUEM FAZ HORAS EXTRAORDINÁRIAS

Transcritório - Traduções Low-Cost

Horas extraordinárias: o que saber

 

Todos os contratos de trabalho estipulam, à partida, o número de horas semanais que o trabalhador deverá cumprir de acordo com o seu contrato de trabalho. As horas extraordinárias só são autorizadas quando a empresa se depara com um aumento pontual de trabalho que não justifique um reforço dos recursos humanos. Conheça as compensações a que tem direito se trabalhar nestas condições.

DIREITOS E OBRIGAÇÕES DE QUEM FAZ HORAS EXTRAORDINÁRIAS

Em 2015, deixou de vigorar a norma que suspendia a possibilidade de instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho ou de o contrato de trabalho preverem um valor mais elevado pelas horas extra. As horas suplementares começam a contar após o horário normal de trabalho. A empresa só pode pedir horas extraordinárias em caso de acréscimo provisório de trabalho que não justifique admissão de um novo empregado, por motivos de força maior ou para prevenir ou reparar prejuízos graves.

QUE REGRAS SE APLICAM?

A legislação que regula as horas extraordinárias em Portugal prevê que cada trabalhador só pode trabalhar até duas horas além do seu horário. O limite anual é o seguinte:

  • 150 horas anuais para empresas com mais de 50 funcionários;
  • 175 horas anuais para empresas com menos de 50 funcionários

Tome nota: estes limites podem ser excedidos caso a empresa apresente justificação para tal, nunca se permitindo que o trabalhador cumpra mais de 48 horas semanais.

QUAL A COMPENSAÇÃO MONETÁRIA?

  • Na primeira hora extra o trabalhador recebe a retribuição normal acrescida de 50%;
  • A partir da segunda hora extra, a compensação sobe para 75%
  • O trabalhador receberá mais 100% do valor-hora por cada hora ou fracção, em dia de descanso semanal, obrigatório ou complementar, ou em feriado. A lei estipula também que as horas extra sejam previamente combinadas entre a empresa e o trabalhador, de modo a que não haja espaço para desacordo por parte do empregador.

ALÉM DA COMPENSAÇÃO MONETÁRIA, É POSSÍVEL SOLICITAR HORAS DE DESCANSO?

Sim. A lei diz que o trabalhador que perca o período diário de descanso tem os três dias úteis seguintes para compensar essas horas. De igual modo, dispõe de três dias úteis para gozar de um dia de descanso se trabalhou horas extras a um domingo.

COMO AGIR SE A EMPRESA SOLICITAR QUE FAÇA HORAS EXTRA?

Se a empresa lhe pedir horas extraordinárias, não recuse. Recusar ajudar a empresa numa determinada fase em que o pico de trabalho é complicado, pode transmitir uma má imagem do seu empenho. Se no entanto quiser recusar fazer horas extraordinárias, terá de apresentar uma justificação que possa estar relacionada com problemas de saúde ou motivos familiares, por exemplo.

EXCEÇÕES

Regra geral, existem alguns grupos de pessoas que têm maior legitimidade para recusar fazer horas extraordinárias. São eles:

06.07.18

TRABALHO POR TURNOS

Transcritório - Traduções Low-Cost

TRABALHO POR TURNOS: UM REGIME LABORAL CADA VEZ MAIS COMUM


O número de pessoas a realizar trabalho por turnos tem vindo a crescer nos últimos anos e a perspetiva é que assim continue. Em 2011, o país tinha pouco mais de 600 mil pessoas neste regime de trabalho, mas no final do ano passado eram já mais de 725 mil – cerca de dois em cada 10 dos portuguesesempregados.

O QUE SIGNIFICA TRABALHAR POR TURNOS?

Trabalhar por turnos significa que, para exercer determinada função, a pessoa não trabalha sempre no mesmo horário, sendo que pode integrar horários rotativos, executando as mesmas funções em períodos temporais que podem variar semanal ou mensalmente.

QUANTAS HORAS PODE DURAR UM TURNO?

A duração de um turno pode variar consoante a empresa e o tipo de contrato estabelecido, mas a verdade é que a duração de cada turno não pode ultrapassar as 8 horas de trabalho por dia e as 40h semanais, como dita a lei.

De ressalvar que só é possível alterar os horários de um turno após o trabalhador cumprir o seu dia de descanso semanal a que tem direito. Entre dois turnos, tem direito a, pelo menos, onze horas seguidas de descanso.

COMPENSAÇÃO REMUNERATÓRIA

O trabalho por turnos é remunerado como outro trabalho qualquer. A única exceção acontece caso o trabalho por turnos apanhe os períodos noturnos. Nesse caso, há um acréscimo salarial de 25% em relação ao valor atribuído à mesma função executada durante o dia.

EXCEÇÕES

No entanto, não beneficiam deste aumento profissionais que trabalhem exclusiva ou maioritariamente de noite ou quando a definição do salário teve desde logo em conta o facto de o trabalho ser prestado à noite.

turnos

TIPOS DE TURNOS

Aqui fica uma lista dos diferentes tipos de turnos existentes:

a) Permanente: consideram-se turnos permanentes os turnos cujo trabalho acontece em todos os sete dias da semana. O acréscimo salarial é de de 22% a 25%;

b) Semanal prolongado: este turno acontece quando o trabalho, para além de ser prestado todos os dias da semana, ainda é prestado também ao sábado e ao domingo. Representa um acréscimo de 20% a 22%;

c) Semanal: este tipo de turno só é aplicado se o trabalho for de segunda a sexta-feira. O acréscimo é de 15% a 20%;

d) Total: se o trabalho diário tiver dividido em três turnos, então entende-se que é total;

e) Parcial: consideram-se turnos parciais quando o trabalho for feito apenas em dois turnos diários.

DIREITOS DOS TRABALHADORES POR TURNOS

Quem trabalha por turnos pode usufruir de determinados direitos que não são aplicáveis a pessoas que trabalhem num regime normal.

  • Se trabalhar seis dias seguidos, terá sempre direito a um dia de descanso por cada seis dias de trabalho;
  • Se estiver alocado a um determinado turno, o mesmo só pode alterar após o dia de descanso obrigatório;
  • Se fizer dois períodos de trabalho consecutivos, o trabalhador tem direito a pelo menos onze horas seguidas de descanso.

Saiba que se os direitos do regime do trabalho por turnos forem violados, constitui contra ordenação grave.

SUGESTÕES PARA NÃO SE DEIXAR FATIGAR PELO TRABALHO POR TURNOS

Há vários hábitos que se alteram quando tem de cumprir um regime laboral por turnos. Para conseguir habituar-se facilmente sem que o seu organismo se ressinta, siga algumas destas dicas:

  • Mantenha uma alimentação saudável e tente cumprir sempre horários semelhantes;
  • Durma sempre as horas mínimas necessárias (7/8h), mesmo que seja fora do horário dito normal;
  • Tente desligar o telemóvel e desligar-se do mundo no seu período de descanso.

 

29.06.18

SAIBA O QUE SÃO EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO

Transcritório - Traduções Low-Cost

Conheça melhor a mecânica da contratação das empresas de trabalho temporário e verifique a nossa lista de entidades às quais pode propor os seus serviços.

10 empresas de trabalho temporário que deve conhecer

Muitas empresas têm necessidade de contratar trabalhadores por curtos períodos de tempo, para suprir necessidades temporárias. Nesses casos, recorrem a empresas de trabalho temporário. Sabe como funcionam?

SAIBA O QUE SÃO EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO


A natureza intrínseca do trabalho está a mudar constantemente, favorecendo cada vez mais as ofertas de trabalho temporário e não tradicional voltadas para projetos específicos, de duração limitada. E com isto, a demanda por trabalhadores orientados para esta “economia de projeto” também continua a crescer.

trabalho temporario

A verdade é que uma boa parte do crescimento económico é atribuída ao crescente número de trabalhadores na faixa etária dos 20 aos 30 anos, que se encontram a explorar oportunidades neste modelo de trabalho. Ao contrário do que se possa pensar, esta não é uma tendência negativa: os jovens profissionais expressam cada vez mais a preferência por empregos temporários ou de curto prazo argumentado a flexibilidade e autonomia que proporcionam.

O QUE SÃO EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO?

Não confundir trabalho temporário com trabalho em part-time. São coisas completamente distintas. As empresas de trabalho temporário são agentes intermediários, isto é, são entidades empregadoras que gerem recursos humanos, estabelecendo uma ponte entre as empresas que pretendem fazer contratações temporárias e os potenciais trabalhadores interessados nesse tipo de trabalhos.

PORQUÊ RECORRER A EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO?

Os motivos que levam as empresas a contratar temporariamente, normalmente passam por preencher vagas enquanto decorre um processo de recrutamento ou para projetos específicos, como atualizações de bases de dados, lançamento de novos produtos ou outro tipo de auxílio pontual.

COMO PODE FAZER PARA SER CONSIDERADO PELAS EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO?

Para ter boas hipóteses de ser requisitado por uma destas empresas de trabalho temporário deverá fazer o seu registo online, no portal iefponline. Este portal recentemente criado tanto funciona para os trabalhadores encontrarem oportunidades profissionais como para as entidades empregadoras divulgarem ofertas de emprego nos mais variados setores de atividade

Ao contrário do que possa pensar, a esmagadora maioria das pessoas que trabalha neste regime de trabalho temporário fá-lo por escolha própria, e não apenas por necessidade ou como estratégia de recurso enquanto não encontra um trabalho a tempo inteiro. Na verdade, ao disponibilizar o seu currículo a uma empresa de trabalho temporário está a “espalhá-lo” por toda a rede de clientes finais que essa empresa serve. Pense então no alcance que uma simples candidatura pode ter!

QUAIS SÃO AS EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO EM PORTUGAL?


Certamente, se lhe pedirmos para nomear algumas empresas de trabalho temporário não vai hesitar em apontar alguns dos nomes mais conhecidos, como a HAYS ou Michael Page. É normal, estes dois exemplos são dois dos gigantes a nível internacional. Mas hoje vamos um pouco além das mais conhecidas e deixar-lhe alguns nomes que podem também ser-lhe úteis.

trabalho temporario

1. HAYS

Mas comecemos pelos exemplos anteriores. A HAYS é um dos grupos líder quando se fala em recrutamento, seja ele temporário ou não. Com ofertas para áreas como construção civil, comunicação, seguros ou área comercial, oportunidades não faltam.

2. MICHAEL PAGE

Outro exemplo não menos conceituado. A Michael Page está espalhada um pouco por todo o mundo e, em Portugal, tem ofertas para diversas áreas em todo o país.

3. KELLY SERVICES

Presente em mais de 30 países, a Kelly Services é uma das empresas de trabalho temporário mais procuradas. Ofertas não faltam.

4. ADECCO

Outras das gigantes do recrutamento mundial. Em Portugal, a Adecco dispõe de ofertas para áreas tão distintas como telecomunicações, secretariado, finanças ou agricultura, entre outras.

5. SYNERGIE

Presente em 15 países, entre os quais Portugal, a francesa Synergie conta já com mais de 40 anos de experiência. Aqui vai pode encontrar mais de 100 ofertas de emprego temporário.

6. RANDSTAD

Randstad é uma das empresas de trabalho temporário que lidera em território nacional.

7. EGOR

A portuguesa Egor é outras das opções ao seu dispor, com ofertas para os setores secundário e terciário. Operadores de call center, administrativos, gestores de produto, empregados de mesa ou rececionistas são algumas das vagas de trabalho temporário que vai pode encontrar.

8. TALENTER

Talenter é outra empresa nacional onde pode encontrar ofertas de trabalho temporário para diversas áreas.

9. MULTITEMPO

Mais um exemplo nacional. A Multitempo está presente no mercado nacional desde 1995 e dispõe de uma bolsa de emprego com várias ofertas.

10. SLOT

Criada em 2005, a SLOT disponibiliza ofertas de emprego para os mais variados setores, desde a construção civil à banca, passando pela área da saúde, entre outros.

No portal iefponline encontra ainda uma lista detalhada das empresas de trabalho temporário ao seu dispor nas diversas regiões do nosso país. Atualize o seu CV, tornando-o bastante abrangente de modo a poder ser indicado para as diversas áreas de trabalho para as quais estas empresas recrutam, e faça o seu registo nas que lhe despertarem maior interesse.

Veja também:

26.06.18

OS 15 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2018

Transcritório - Traduções Low-Cost

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulga, duas vezes por ano, dados sobre o poder económico das nações mundiais. Em abril, foi lançado um ranking que possibilita ficar a saber quais os países mais ricos do mundo. As nações mundiais foram classificadas de acordo com o seu Produto Interno Bruto (PIB) per capita e em paridades do poder de compra.

Segundo os dados do FMI, o tamanho nem sempre significa riqueza quando se fala de países mais ricos do mundo. Isto acontece porque, para a realização desta lista, é analisado o custo de vida relativo e as taxas de inflação dos países para comparar os padrões de vida entre as diferentes nações.

Os pequenos países que encabeçam o Top 15, têm populações pequenas quando comparados com os países que lideram o mundo apenas tendo por base o PIB per capita, como é o caso dos Estados Unidos, China ou Alemanha. De referir que a maioria destes países pequenos depende de mão-de-obra estrangeira – que, normalmente, não reside no país ou não é considerado residente e, portanto, não são contabilizados nos cálculos do PIB per capita.

Continue a ler e conheça os países que ocupam os 15 lugares cimeiros do ranking dos países mais ricos do mundo, considerando as economias mundiais com o PIB per capita acima de 55 mil dólares por ano, apresentado pelo FMI.

OS 15 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2018


qatarQatar encabeça a lista dos países mais ricos do mundo, segundo dados do FMI. Fonte da imagem: Pixabay/HansenHimself

  1. Qatar – 128.702,8 USD
  2. Macau – 122.489,8 USD
  3. Luxemburgo – 110.870,2 USD
  4. Singapura  – 980.14,4 USD
  5. Irlanda – 799.24,7 USD
  6. Brunei – 797.26,3 USD
  7. Noruega – 740.650,0 USD
  8. Emirados Árabes Unidos – 686.62,4 USD
  9. Kuwait – 666.73,0 USD
  10. Hong Kong – 645.33,4 USD
  11. Suíça – 633.79,6 USD
  12. Estados Unidos da América – 621.52,1 USD
  13. San Marino – 611.69,2 USD
  14. Holanda – 564.35,6 USD
  15. Arábia Saudita – 558.59,3 USD

A riqueza de um país, como vimos, é composta por diversos fatores. A cultura, a gastronomia, a língua, a arquitetura, entre tantos outros componentes, acabam por ser fruto de uma linguagem própria que faz dos países lugares únicos, quando comparados entre si.

No entanto, quando chega a altura de avaliar a riqueza de um país, é preciso analisar friamente o PIB – Produto Interno Bruto. A partir deste valor, que espelha o que cada país tem capacidade de produzir, é que se pode avaliar qual a verdadeira riqueza de um país. De acordo com este indicador, foram estes os 10 eleitos como países mais ricos do mundo em 2018.

Na lista do FMI, entre os vários países e de acordo com o respetivo poder económico, Portugal surge em 47.º lugar. Quer saber mais pormenores? Consulte o relatório completo e saiba mais sobre os países mais ricos do mundo aqui.

OS 11 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2017


11. Suíça
10. San Marino
9. Emirados Árabes Unidos
8. Noruega
7. Irlanda
6. Kuwait
5. Brunei
4. Singapura
3. Macau
2. Luxemburgo
1. Qatar

OS 10 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2016


10. Suíça
9. Estados Unidos da América
8. Hong Kong
7. Emirados Árabes Unidos
6. Noruega
5. Kuwait
4. Brunei
3. Singapura
2. Luxemburgo
1. Qatar

 

Veja também:

22.06.18

CURSO DE INGLÊS ONLINE GRÁTIS!

Transcritório - Traduções Low-Cost

Resultado de imagem para do you speak english

 

 

Curso de leitura: aprendendo a ler em inglês

 

Curso de compreensão oral: aprendendo a entender o inglês falado

 

O método da compreensão oral e leitura [super novidade!]

 

 

Aprendendo inglês através de collocations

Desafio dos idiomas

 

Curso de gramática básica

 

Curso de gramática intermediária

 

Curso de idioms (expressões idiomáticas)

 

Curso de phrasal verbs

19.06.18

TUDO SOBRE BOLSA DE ESTUDO NO ANO DE 2018/2019

Transcritório - Traduções Low-Cost

Bolsa de estudo 2018: prazos e procedimentos para candidatura

 

Seja para quem vai entrar na faculdade pela primeira vez ou para quem vai regressar, é importante conhecer o processo de candidatura a bolsa de estudo.

Quer candidatar-se a uma bolsa de estudo? As bolsas de estudo constituem um grande contributo para o desenrolar da vida académica de muitos estudantes portugueses. Para começar o ano letivo de 2018/2019, informe-se bem acerca da legislação e prazos de candidatura a uma bolsa de estudo. Os procedimentos são burocráticos e podem levar tempo, por isso, esteja preparado!

TUDO SOBRE BOLSA DE ESTUDO NO ANO DE 2018/2019


Preparámos um resumo da legislação em vigor com indicação dos dados mais importantes para avançar com a sua candidatura e obter auxílio económico em transportes, alimentação e alojamento. Contudo, é fundamental que consulte os regulamentos e a informação específica do Serviço de Ação Social de cada instituto de ensino superior, para que fique por dentro de todos os direitos e deveres.

bolsa de estudo

PRAZOS

Os prazos de candidatura a bolsa de estudo para ano letivo de 2018/2019 são os seguintes:

  • Entre o dia 25 de Junho e o dia 30 de Setembro de 2018;
  • Nos 20 dias úteis subsequentes à inscrição, quando esta ocorra após 30 de setembro;
  • Em caso de estar em estágio profissional, a regra dos 20 dias também se aplica. Começa a contar-se no dias subsequentes à emissão de comprovativo de início de estágio por parte da entidade promotora.

É possível, virtualmente, pedir bolsa de estudo em qualquer altura do ano letivo. Entre o dia 1 de outubro de 2018 e 31 de maio de 2019 pode fazê-lo, mas como o valor da bolsa é proporcional ao valor calculado para um ano, só recebe o valor referente ao período que falta até ao final do ano letivo ou estágio.

DESTINATÁRIOS

As bolsas de estudo podem ser atribuídas a qualquer estudante de uma instituição de ensino superior portuguesa. As bolsas estão reservadas para alunos de licenciatura, mestrado ou mestrado integrado, e para estagiários no âmbito destes graus. Para doutorandos, os programas de bolsas funcionam no âmbito da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

No caso de estudantes de outras nacionalidades, é necessário que tenham direito de residência permanente em Portugal (para estados membros da UE) ou que provenham de países que tenham acordos de cooperação com Portugal.

CANDIDATURAS

Pode apresentar a sua candidatura online no site da Direção-Geral do Ensino Superior. Para isso, irá necessitar das suas credenciais de acesso. Se ainda não as tem, deve solicitá-las no Serviço de Ação Social da sua faculdade.

Se já concorreu a bolsas de estudo em anos letivos anteriores, pode usar as credenciais obtidas anteriormente. Se nunca concorreu, mas indicou a intenção no momento de candidatura ao ensino superior, obteve instruções via e-mail. Caso nunca tenha concorrido nem tenha apresentado essa intenção, basta dirigir-se aos serviços de Ação Social da escola que frequenta com o cartão de cidadão para obter credenciais de acesso.

DADOS NECESSÁRIOS

Para preencher o formulário de candidatura a bolsa de estudo são necessários os seguintes dados, de todos os elementos do agregado familiar:

  • Cartão de Cidadão (em caso de ser ainda bilhete de Identidade também são necessários o número de identificação fiscal e o número de segurança social);
  • Declaração de IRS;
  • Lista de Imóveis ou IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) ou Caderneta Predial;
  • Valor do Património Mobiliário de todos os elementos do agregado familiar, desde 31 de dezembro de 2017 até ao início do ano letivo;
  • IBAN – Número Internacional de Conta Bancária (não é obrigatório para todos os elementos do agregado familiar);
  • Declaração do Modelo 22 do Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Coletivas (IRC) e Certidão de Registo Comercial.

Atenção! Todos os documentos têm de ser entregues em formato PDFTIF ou TIFF.

CONDIÇÕES PARA SE PODER BENEFICIAR DE BOLSAS DE ESTUDO

O candidato tem que cumprir uma das condições previstas no n.º 1 do artigo 3.º do Decreto-Lei n.º 129/93, de 22 de abril, alterado pelas Leis n.º 113/97, de 16 de setembro, e a n.º 62/2007, de 10 de setembro, e pelo Decreto-Lei n.º204/2009, de 31 de agosto. Além disso, tem que estar matriculado numa instituição de ensino superior e inscrito num curso de especialização tecnológica, de licenciatura, de mestrado e de mestrado integrado;

O candidato não pode:

  • ser titular de um diploma de especialização tecnológica ou de um grau académico, se inscrito num curso de especialização tecnológica;
  • ser titular de um diploma de técnico superior profissional ou de um grau académico, se inscrito num curso técnico superior profissional;
  • ser titular do grau de licenciado ou superior, se inscrito num curso que confira grau de licenciado;
  • ser titular do grau de mestre ou superior, se inscrito num curso que confira grau de mestre;
  • estar inscrito num mínimo de 30 ECTS, exceto se inscrito num número de ECTS inferior por estar a concluir o curso;
  • se esteve matriculado e inscrito numa instituição de ensino superior no ano letivo anterior àquele para o qual requer a bolsa, deverá ter terminado o último ano em que esteve inscrito, com aprovação;

Acresce que:

  • o rendimento per capita do agregado familiar, calculado nos termos do artigo 45.º, deve ser igual ou inferior a 14 vezes o Indexante dos Apoios Sociais em vigor no início do ano letivo, acrescido do valor da propina máxima anualmente fixada para o 1.º ciclo de estudos do ensino superior público nos termos legais em vigor;
  • o património mobiliário do agregado familiar, em 31 de dezembro do ano anterior ao do início do ano letivo, não pode ser superior a 240 vezes o valor do Indexante dos Apoios Sociais;
  • a sua situação tributária e contributiva deverá estar regularizada, sendo que não se consideram como irregulares as dívidas prestativas à segurança social, assim como situações que não lhe sejam imputáveis.

DECISÃO E PAGAMENTO DA BOLSA DE ESTUDO

A decisão de atribuição de uma bolsa de estudo pode ser algo demorada. A mesma é comunicada ao candidato através de e-mail, sendo também informado nesta missiva do valor do apoio a receber. O pagamento da bolsa de estudo é feito mensalmente através de transferência bancária. Pode acontecer ser chamado a reunir com o técnico responsável pelo processo ou a serem pedidos mais documentos.

É também possível fazer uma reclamação ou pedir um requerimento para nova análise por parte dos Serviços ou Gabinetes de Ação Social, caso a decisão não seja favorável. Para mais informações, nomeadamente quanto aos motivos para cessação ou suspensão da bolsa, pode dirigir-se aos Serviços de Ação Social da sua instituição de ensino.

Veja também:

15.06.18

ESTUDAR POR GOSTO NÃO CANSA!

Transcritório - Traduções Low-Cost

🏥🎓 Renata terminou o 5º ano de Medicina com uma média de 18,10 valores. Esta jovem de 25 anos diz que "estudar por gosto não cansa" mas também defende que o tempo de lazer é muito importante. 🧘📚 

Na Quarta-Feira vai receber uma bolsa de mérito de valor igual ao da propina.

Para ler em  bit.ly/BolsasExcelência2018

https://www.facebook.com/uminhooficial/videos/1732505413492374/?t=62

 

12.06.18

MATRICULAR OS FILHOS SEM SAIR DE CASA

Transcritório - Traduções Low-Cost
Ainda não matriculou os seus filhos? Utilize o serviço Matrícula Eletrónica e evite deslocar-se e perder tempo em longas filas. Mas atenção, é só até 15 de junho.
     
Matricular os filhos sem sair de casa

É uma boa notícia para os pais com filhos em idade escolar. Já é possível fazer matrícula dos alunos sem sair de casa, sem ter de se deslocar presencialmente ao agrupamento de escolas da sua área de residência e eventualmente de perder meio dia para fazer uma matrícula. Aqui fica um guia rápido sobre a Matrícula Eletrónica.

 

O que é a Matrícula Eletrónica?
É um serviço do Ministério da Educação que permite efetuar a matrícula dos alunos na educação pré-escolar, no 1º ano do ensino básico e o registo de renovação de matrícula com transferência de escola a partir do 2º ano básico e no ensino secundário.

 

Aplica-se a que instituições de ensino?

É possível realizar matrículas em estabelecimentos de ensino público do Ministério da Educação, privados, IPSS ou equiparados.

 

Como posso usar esta aplicação?

A primeira coisa que tem que fazer é aceder ao Portal das Escolas online e entrar em Matrícula Eletrónica. Tenha consigo os Cartões do Cidadão, os respetivos códigos de autenticação e um leitor de cartões. Depois, só tem de preencher os formulários e anexar os documentos necessários e obrigatórios.

 

Quais são os documentos necessários e obrigatórios?

- Documentos de identificação do aluno a matricular e do Encarregado de Educação;

- Boletim de vacinas do aluno;

- Comprovativo do local de trabalho do Encarregado de Educação;

- Comprovativo de residência do Encarregado de Educação;

- Comprovativo do estatuto de estudante para pais menores de idade;

- Comprovativo de abono de família / beneficiário de Ação Social Escolar;

- Comprovativo da constituição do agregado familiar (se não tiver atualizado a informação no site das Finanças dentro do prazo, terá de apresentar um atestado equivalente na sua Junta de Freguesia);

- Quando o Encarregado de Educação não é nenhum dos progenitores, é obrigatória a apresentação de documento comprovativo do poder parental atribuído.

 

Dicas práticas:

- A escola que escolher na primeira opção deve ser - obrigatoriamente – do agrupamento de escolas a que pertence a residência do Encarregado de Educação. Tem depois outras três opções, por ordem de preferência.

- Garanta previamente que tem todos os documentos necessários para submeter na matrícula online, caso contrário o processo não será aceite.

- Não deixe o processo a meio. Uma vez que o inicie online, não vai conseguir depois concluir o processo de matrícula presencialmente, porque o sistema não aceita. 

 

Quais são os prazos?

O período de matrículas iniciou-se em 15 de abril e termina em 15 de junho.

E como sempre o conselho é: não deixe tudo para o fim. Logo que possível garanta a matrícula do seu filho sem sair de casa. Experimente clicar aqui. E boa sorte.

 

05.06.18

MITOS SOBRE O TRABALHO DE FREELANCER: 12 IDEIAS ERRADAS A CONHECER

Transcritório - Traduções Low-Cost

 

1. UM FREELANCER FAZ O QUE QUER E QUANDO LHE APETECE

mitos sobre freelancer

É verdade que um freelancer tem maior liberdade para gerir o seu tempo e as suas tarefas diárias, porém, este profissional não pode trabalhar apenas quando lhe apetece. Um trabalhador independente, tal como em qualquer outra profissão, deve ser organizado e gerir os seus horários de forma a cumprir os prazos que lhe são propostos.

Um freelancer, para ser bem-sucedido, tem que assumir um compromisso diário, ser organizado, garantir qualidade no seu serviço e ter capacidade de resposta para todos os desafios que aceitar.

2. UM FREELANCER PODE ACORDAR À HORA QUE QUISER

Apesar de ser o sonho de muitos profissionais, este é outro dos grandes mitos do trabalho de freelancer.

Um freelancer tem uma maior liberdade de horários, porém, tem prazos a cumprir como os restantes profissionais. Se não criar rotinas e aproveitar apenas parte do seu dia para trabalhar, menos irá produzir e menor qualidade conseguirá garantir aos seus clientes. Esta prática trará consequências não só para o seu vencimento mensal, mas também para o seu posicionamento no mercado.

3. NÃO TEM CHEFE, NÃO TEM PRESSÕES

Na realidade, um freelancer não tem a presença da figura tradicional de uma chefia. Porém, em todos os desafios existe um cliente associado, uma figura sempre presente, que vai constantemente cobrar prazos e exigir elevada qualidade nos seus serviços.

4. UM FREELANCER NUNCA IRÁ GANHAR MUITO DINHEIRO

Outro dos grandes mitos sobre o trabalho de freelancer é que este profissional nunca irá ganhar muito dinheiro. Apesar de não ter determinados benefícios, como os vários subsídios atribuídos a um colaborador de uma empresa ou um ordenado fixo, o freelancer pode conseguir uma boa quantia no final do mês.

Como não depende de intermediários para a realização do seu trabalho, o freelancer pode gerir o seu tempo para obter um maior lucro. Claro que demorará algum tempo até se estabelecer neste tipo de mercado, porém, quanto mais se dedicar às suas tarefas, mais trabalhos conseguirá realizar com sucesso e maior será o seu rendimento.

5. O FREELANCER RECEBE MUITO DINHEIRO

Se é verdade que é um mito acreditar que um trabalhador independente nunca irá ganhar muito dinheiro, também é verdade que alguns freelancers conseguem boas quantias pelos seus trabalhos – o que não quer dizer que ganhem muitos e muitos euros ao final do mês, uma vez que também têm despesas, nomeadamente relacionadas com equipamentos informáticos, internet, luz, etc. Além disso, é necessário ter em conta que os freelancers ainda têm de pagar uma percentagem dos seus ganhos ao governo, como qualquer outro trabalhador.

6. SÓ É FREELANCER QUEM FICOU DESEMPREGADO

freelancer

Este é um clássico dos mitos do trabalho de freelancer. Muitas pessoas acham que a escolha do trabalhado independente é forçada por falta de oportunidades profissionais, o que está longe de ser verdade.

O trabalho de freelancer tem sido, cada vez mais, uma opção de muitos profissionais que procuram novos desafios ou maior liberdade criativa. Para estes profissionais, a autonomia é sinónimo de maior produtividade e maior realização pessoal e profissional.

7. SÓ HÁ OPORTUNIDADES PARA FREELANCERS DE PROGRAMAÇÃO, TRADUÇÃO E DESIGN

Hoje em dia, as ofertas de trabalho para freelancers envolvem praticamente todas as áreas. O mercado é cada vez mais exigente e tem necessidades cada vez mais imediatas, o que exige um maior número de profissões e serviços disponíveis para dar resposta a todos desafios.

Além da necessidade de programadores, tradutores e designers, também existem muitas oportunidades para outros profissionais, como por exemplo: fotógrafos, marketeers, editores de vídeo, redatores, explicadores, ensino de línguas, entre outros.

Se está a pensar iniciar o seu trabalho como freelancer, conheça algumas plataformas que o podem ajudar e comece hoje mesmo a explorar algumas oportunidades:

 

8. NÃO TER CHEFES EQUIVALE A NÃO TER STRESS

Este é, muito provavelmente, um dos maiores mitos sobre o trabalho como freelancer. Ok, não há chefes, mas e os clientes? Os clientes que contratam os freelancers e que pagam pelo seu trabalho acabam a tornar-se, inevitavelmente, nos chefes dos freelancers. E, se um trabalhador comum tem apenas um chefe a quem prestar esclarecimentos, um freelancer acaba a ter vários, o que equivale, a maior parte das vezes, a muito stress.

9. O TRABALHO DOS FREELANCERS É TÃO BOM QUE NEM SEQUER DEVIA SER TRABALHO

De todos os mitos sobre o trabalho como freelancer, este é capaz de ser o que faz menos sentido. Numa organização, os colaboradores, limitam-se a fazer o trabalho que lhes é indicado. No caso dos freelancers, ainda têm de o procurar e, no início, nem sempre é fácil.

10. OS FREELANCERS NÃO TÊM DE LIDAR COM BUROCRACIAS

Todo o trabalho administrativo que é distribuído por vários colaboradores nas organizações recai única e exclusivamente, no freelancer, ou seja, o freelancer, para além de fazer o trabalho para o qual é contratado, tem ainda de lidar com todas as burocracias inerentes ao seu trabalho.

11. O TRABALHO COMO FREELANCER É BOM PARA PESSOAS INTROVERTIDAS

Trabalhar em casa pode ser muito bom para pessoas mais tímidas e introvertidas, no entanto, é sempre necessário contacto constante com clientes, o que não significa que se passe um dia inteiro sem falar com ninguém. É ainda extremamente importante cuidar da imagem de marca do freelancer, procurar novos clientes e, muitas vezes isso não são tarefas fáceis para introvertidos.

12. A ÚNICA COISA QUE UM FREELANCER PRECISA É DE UM WEBSITE

O site com o melhor portifólio do mundo pode estar online, mas se as pessoas certas não o encontrarem, não servirá de nada. É, então, extremamente importante promover também os serviços prestados e isso, como tudo o resto, requer tempo e trabalho.

Veja também:

 

Siga as nossas novidades e veja as ofertas de emprego através do Facebook Veja os packs para cada profissão no nosso site: www.transcritorio.com