Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Transcritório - Traduções Low-Cost

Traduções oficiais. Línguas: Português, Inglês, Francês, Italiano, Alemão e Espanhol (incluindo catalão). Se precisar de outras línguas, contacte-nos.

Transcritório - Traduções Low-Cost

Traduções oficiais. Línguas: Português, Inglês, Francês, Italiano, Alemão e Espanhol (incluindo catalão). Se precisar de outras línguas, contacte-nos.

TRANSCRITÓRIO - TRADUÇÕES LOW-COST https://www.transcritorio.com/
26.06.18

OS 15 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2018

Transcritório - Traduções Low-Cost

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulga, duas vezes por ano, dados sobre o poder económico das nações mundiais. Em abril, foi lançado um ranking que possibilita ficar a saber quais os países mais ricos do mundo. As nações mundiais foram classificadas de acordo com o seu Produto Interno Bruto (PIB) per capita e em paridades do poder de compra.

Segundo os dados do FMI, o tamanho nem sempre significa riqueza quando se fala de países mais ricos do mundo. Isto acontece porque, para a realização desta lista, é analisado o custo de vida relativo e as taxas de inflação dos países para comparar os padrões de vida entre as diferentes nações.

Os pequenos países que encabeçam o Top 15, têm populações pequenas quando comparados com os países que lideram o mundo apenas tendo por base o PIB per capita, como é o caso dos Estados Unidos, China ou Alemanha. De referir que a maioria destes países pequenos depende de mão-de-obra estrangeira – que, normalmente, não reside no país ou não é considerado residente e, portanto, não são contabilizados nos cálculos do PIB per capita.

Continue a ler e conheça os países que ocupam os 15 lugares cimeiros do ranking dos países mais ricos do mundo, considerando as economias mundiais com o PIB per capita acima de 55 mil dólares por ano, apresentado pelo FMI.

OS 15 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2018


qatarQatar encabeça a lista dos países mais ricos do mundo, segundo dados do FMI. Fonte da imagem: Pixabay/HansenHimself

  1. Qatar – 128.702,8 USD
  2. Macau – 122.489,8 USD
  3. Luxemburgo – 110.870,2 USD
  4. Singapura  – 980.14,4 USD
  5. Irlanda – 799.24,7 USD
  6. Brunei – 797.26,3 USD
  7. Noruega – 740.650,0 USD
  8. Emirados Árabes Unidos – 686.62,4 USD
  9. Kuwait – 666.73,0 USD
  10. Hong Kong – 645.33,4 USD
  11. Suíça – 633.79,6 USD
  12. Estados Unidos da América – 621.52,1 USD
  13. San Marino – 611.69,2 USD
  14. Holanda – 564.35,6 USD
  15. Arábia Saudita – 558.59,3 USD

A riqueza de um país, como vimos, é composta por diversos fatores. A cultura, a gastronomia, a língua, a arquitetura, entre tantos outros componentes, acabam por ser fruto de uma linguagem própria que faz dos países lugares únicos, quando comparados entre si.

No entanto, quando chega a altura de avaliar a riqueza de um país, é preciso analisar friamente o PIB – Produto Interno Bruto. A partir deste valor, que espelha o que cada país tem capacidade de produzir, é que se pode avaliar qual a verdadeira riqueza de um país. De acordo com este indicador, foram estes os 10 eleitos como países mais ricos do mundo em 2018.

Na lista do FMI, entre os vários países e de acordo com o respetivo poder económico, Portugal surge em 47.º lugar. Quer saber mais pormenores? Consulte o relatório completo e saiba mais sobre os países mais ricos do mundo aqui.

OS 11 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2017


11. Suíça
10. San Marino
9. Emirados Árabes Unidos
8. Noruega
7. Irlanda
6. Kuwait
5. Brunei
4. Singapura
3. Macau
2. Luxemburgo
1. Qatar

OS 10 PAÍSES MAIS RICOS DO MUNDO EM 2016


10. Suíça
9. Estados Unidos da América
8. Hong Kong
7. Emirados Árabes Unidos
6. Noruega
5. Kuwait
4. Brunei
3. Singapura
2. Luxemburgo
1. Qatar

 

Veja também:

22.06.18

CURSO DE INGLÊS ONLINE GRÁTIS!

Transcritório - Traduções Low-Cost

Resultado de imagem para do you speak english

 

 

Curso de leitura: aprendendo a ler em inglês

 

Curso de compreensão oral: aprendendo a entender o inglês falado

 

O método da compreensão oral e leitura [super novidade!]

 

 

Aprendendo inglês através de collocations

Desafio dos idiomas

 

Curso de gramática básica

 

Curso de gramática intermediária

 

Curso de idioms (expressões idiomáticas)

 

Curso de phrasal verbs

01.05.18

PASSO A PASSO PARA A MALA INTELIGENTE

Transcritório - Traduções Low-Cost

Passo a passo para uma mala inteligente - mala inteligente

 

Vamos logo arrumar esta mala?!

1o passo – Escolha a mala – a que sempre recomendamos, por motivo de praticidade, é uma mala média de quatro rodas. As de tecido normalmente são mais leves que as rígidas.

Passo a passo para uma mala inteligente - malas

2o passo – De acordo com o clima, escolha uma ou duas “camadas de fora“. As camadas de fora são peças como jaquetas (de couro, jeans, bomber), blazers, cardigans, parkas, trench coats, capas de chuva, ou – para o inverno – jaquetas forradas ou casacos de lã.

Mesmo que sua viagem seja no verão, não deixe de incluir a camada de fora, como uma jaqueta de couro, ou cardigan mais quentinho, pois é muito comum precisarmos dela.

Passo a passo para uma mala inteligente - partes de fora

3o passo – Escolha quatro “partes de baixo” de acordo com seu estilo. Aí incluídos calças jeans, black jeans, leggings, saias, shorts, calças de tecido. Escolha também um vestido, se gostar, obviamente. Opte por cores básicas, fáceis de combinar com qualquer parte de cima.

Passo a passo para uma mala inteligente - partes de baixo e vestidos

4o passo – Escolha oito “partes de cima” que combinem com todas as partes de baixo escolhidas. Camisetas de manga curta ou comprida, regatas, blusas de alcinha, camisas, batas; para o inverno, além de camisas ou camisetas de manga comprida, inclua também sweaters, cashemeres, ou pullovers. Vale tudo, mas lembre-se de misturar algumas peças mais arrumadas com outras mais despojadas ou básicas.

Passo a passo para uma mala inteligente - partes de cima

5o passo – Escolha duas bolsas, uma para o dia, com espaço para abrigar toda a “tralha” que você carregará no voo e também nos passeios pela cidade, e uma menorzinha para outras ocasiões.

6o passo – Escolha três pares de sapatos. Só três. Para o verão, uma opção seria: sapatilha, tênis, sandália plataforma. Para o inverno: bota de cano curto, bota de cano longo, tênis de couro com solado grosso. Para a primavera ou outono: bota de cano curto, sapatilha, oxford. Se quiser incluir um chinelinho, ele não conta!

Passo a passo para uma mala inteligente - sapatos

7o passo – Escolha os acessórios que darão cor e graça aos seus looks. Lenços e cachecóis são uma excelente opção, pois não pesam na mala e têm usos múltiplos. Leve também cintos, colares, pulseiras, anéis, relógios, óculos escuros. Só não leve joias caras ou de grande valor sentimental, para não ter perigo de perder algo precioso.

Para o kit inverno, não se esqueça: luvas, cachecol, gorro e/ou protetor de orelhas. E o guarda-chuva vai em qualquer estação, afinal estamos falando de Londres!

Passo a passo para uma mala inteligente - acessórios

8o passo – Roupa de dormir, roupa íntima, meias e segunda pele

Escolha duas camisolas ou pijamas (ou uma camisola e um pijama). Quanto à roupa íntima, pense em duas ou três calcinhas para um sutiã (ou a forma que você acha razoável) e leve o suficiente para uma semana.

Não se esqueça das meias para usar com botas ou tênis e das meias finas também. Mesmo no verão, elas podem ser úteis com vestidos, saias e shorts se o calor não estiver convencendo. Se preferir, opte por meias com fio mais grosso.

No inverno, a roupa tipo segunda pele é essencial. Falamos delas aqui.

Passo a passo para uma mala inteligente - roupas de dormir, roupa intima e meias

ANTES DE COLOCAR TUDO NA MALA…

A ideia é que você seja capaz de montar 3 ou 4 looks diferentes com cada parte de baixo, tendo assim modelitos pré escolhidos para vários dias da sua viagem. Já viu que não vai ter stress na hora de se vestir!

Antes de colocar tudo na mala, monte os looks (mentalmente ou realmente experimentando as roupas) e confira se você seguiu realmente as regras da mala inteligente: roupas que você AMA, que te servem, que sejam confortáveis, que não dêem muito trabalho (quanto a passar, lavar, etc.) e que sejam super adequadas ao clima que você vai encontrar no destino.

***

As quantidades sugeridas acima não são baseadas em pesquisa científica 🙂 mas na nossa experiência de muitos anos de viagem. Esta mala é suficiente para passar de 10 dias a um mês de viagem, desde que você se disponha a lavar roupas durante o período. No post anterior demos dicas de formas práticas e baratas de lavar roupas em Londres.

Para períodos de uma semana,  sugerimos levar: 1 ou 2 camadas de fora, 2 partes de baixo e 1 vestido, 4 partes de cima, 2 bolsas, 2 ou 3 pares de sapatos, acessórios, 1 camisola, além de meias e roupa íntima para todo o período.

Baixe aqui o passo a passo.

20.04.18

ENTREVISTA DE EMPREGO EM INGLÊS: COMO PREPARAR?

Transcritório - Traduções Low-Cost

Resultado de imagem para ENTREVISTA DE EMPREGO EM INGLÊS

Se o seu inglês está um pouco “enferrujado” ou não domina a língua, talvez seja melhor começar já a praticar, porque quem sabe se nos próximos tempos não vai ter que enfrentar uma entrevista de emprego em inglês. Sendo uma das ferramentas de trabalho mais solicitadas e valorizadas pelos empregadores, é comum que os seus conhecimentos de inglês sejam testados durante a entrevista de emprego.
 

5 DICAS PARA PREPARAR A ENTREVISTA DE EMPREGO EM INGLÊS

Seja porque a posição ou a empresa a que se está a candidatar requerem bons conhecimentos de inglês ou porque está a pensar emigrar (talvez até para um país onde se fale inglês como Inglaterra, Estados Unidos da América, Austrália ou Canadá, por exemplo), é bom que dê o seu melhor, afinal de contas o objetivo é impressionar os seus recrutadores. No fundo, a preparação de uma entrevista de emprego em inglês obedece às mesmas regras de uma entrevista na sua língua materna. Há apenas alguns cuidados adicionais que deve ter, para não cometer erros grosseiros ou gaffes, que possam pôr em causa o seu sucesso. Ora veja.

 

1. PREPARE AS RESPOSTAS ÀS QUESTÕES MAIS FREQUENTES

“Fale-nos sobre si” ou “quais os seus defeitos e qualidades?” são apenas dois exemplos das questões mais frequentes que lhe podem ser colocadas tanto em entrevistas nacionais como internacionais. Sabendo disto, também sabe que deve preparar as suas respostas, principalmente se tiver que responder em inglês. Escreva as suas respostas, por exemplo, para as poder analisar e corrigir (se necessário). Lembre-se que vai comunicar com os seus recrutadores noutra língua e por isso deve tentar evitar erros. Ter as respostas previamente pensadas pode ajudá-lo a explicar-se de forma correta e coerente.

 

2. MEMORIZE O VOCABULÁRIO RELACIONADO COM A SUA ÁREA DE ATIVIDADE

Se quer falar das suas competências e experiência deve dominar o vocabulário relacionado com a sua área profissional. Em boa verdade, esta é uma tarefa que, de certa forma, está facilitada, visto que atualmente no mercado existe uma tendência (cada vez mais crescente) de introduzir estrangeirismos no dia-a-dia laboral para descrever tarefas, ferramentas ou métodos de trabalho, por exemplo. Ainda assim, convém relembrar o vocabulário mais importante para garantir que nada falha.

 

3. ESTUDE O SITE DA EMPRESA

Obviamente deve fazê-lo quer esteja a preparar-se para uma entrevista em português, inglês ou noutra língua qualquer. Mas se estiver prestes a fazer a entrevista numa língua estrangeira o site da empresa pode ser o seu melhor apoio, já que além de informações sobre o negócio ou projetos, ainda vai poder perceber qual a forma mais adequada de falar sobre a empresa e de como adequar as suas respostas (ou a forma como se comunica).

 

4. TENHA ATENÇÃO AOS TEMPOS VERBAIS

Durante a entrevista vão colocar-lhe perguntas sobre o seu passado profissional, sobre a sua situação presente ou objetivos futuros. É imperativo que preste atenção a todas as perguntas e tenha cuidado para usar os tempos verbais corretos para cada uma das situações.

 

5. KEEP IT SIMPLE (QUE É COMO QUEM DIZ, NÃO COMPLIQUE)

É comum que durante as entrevistas de emprego em inglês os candidatos se “engasguem” e cometam erros, mas se isso acontecer é importante que não entre em pânico. Fale devagar e se não compreender a questão peça para repetirem. E, acima de tudo, não complique. É normal que queira impressionar, mas em certos casos é melhor não “abusar da sorte”. É preferível ser breve e sucinto nas suas respostas e usar expressões simples (principalmente se o seu nível de inglês não for o melhor) a cometer erros grosseiros que lhe podem custar o lugar.

 

PRACTICE YOUR ENGLISH!

Como sempre a chave para o sucesso de qualquer entrevista de emprego – em inglês ou não – é a preparação. E pode começar já por treinar o seu inglês. A prática leva à perfeição (ou quase, pelo menos). 

 

 

10.04.18

GUIA DETALHADO: TRABALHAR E VIVER NA NORUEGA

Transcritório - Traduções Low-Cost

Noruega_emprego 

Considerado o país com maior qualidade de vida pela ONU, a Noruega é cada vez mais um destino procurado por aqueles que procuram boas condições de vidasalários atractivos. Localizada na parte ocidental da Península Escandinava, a Noruega é um dos poucos países que mantém um sistema social que prevê a saúde universal, um ensino superior altamente subsidiado bem como um regime geral de providência social. Detém, como foi inicialmente referido, o Índice de Desenvolvimento Humano mais alto do mundo e foi considerada pela ONU, em 2009, como o “melhor país do mundo para se viver”. As recomendações parecem ser boas, mas não ficam por aqui. Pelo quinto ano consecutivo, o país foi considerado como o “mais democrático do mundo”, segundo o Índice de Democracia 2014 publicado pela The Economist Intelligence Unit,  já no corrente ano de 2015. Entusiasmado? Venha saber mais.

Está a pensar em ir para a Noruega e começar uma nova fase na sua carreira? Informe-se com este nosso guia “Trabalhar e viver na Noruega” e vá mais preparado.

Politicamente baseada numa monarquia constitucional, a Noruega não pertence à União  Europeia mas mantém ligações próximas com os principais países ocidentais. Partilha fronteiras com a Suécia e, no seu topo norte, com a Finlândia e a Rússia e detém uma extensa linha costeira que abrange o Atlântico Norte e o Mar de de Barents. O Rei, uma figura meramente representativa, é o Senhor Haroldo V e a chefia do governo está actualmente a cargo da Senhora Erna Solberg. Com uma população a rondar os 5 milhões de habitantes, conta com o 4º PIB per capita mais elevado do mundo, sinal do estado de desenvolvimento do país.

 

Sobre a Noruega:

População – 5 milhões

Capital – Oslo

Moeda – Coroa Norueguesa

Membro da UE – Não

Lingua oficial – Norueguês

Fronteiras – Suécia, Finlândia e Rússia

 

VISTOS:

A Noruega não pertence à União Europeia mas integra o Acordo Schengen, pelo que qualquer cidadão português pode livremente visitar e trabalhar na Noruega, desde que por um período inferior a 90 dias. Não é necessário passaporte para entrar no espaço norueguês, pelo que o Cartão de Identificação é suficiente. Para permanecer além dos 90 dias, terá que encontrar um trabalho, pelo que depois poderá pedir um visto de residência ou trabalho aos serviços de emigração. O visto é gratuito e permite várias facilidades.

 

Todo o cidadão residente na Noruega tem direito a:

– Mudar livremente de emprego e ter mais do que uma entidade empregadora simultaneamente;

– Trazer a família para a Noruega (os membros da família também têm que se registar);

– Após cinco anos na Noruega, o cidadão pode pedir um visto de residência permanente.

 

 E se, de repente, ficar desempregado?

1) se trabalhou durante pelo menos um ano na Noruega e não foi despedido por justa-causa, pode continuar a procurar emprego por um período indefinido.

2) se trabalhou durante menos de um ano e não foi despedido por justa-causa, pode viver na Noruega durante mais seis meses, período pelo qual tem que encontrar novo emprego.

3) se estiver incapacitado de trabalhar devido a doença ou acidente, pode continuar a viver na Noruega por tempo indefinido.

 

Emprego

Não será propriamente pelo gélido clima continental que a Noruega se traduz como um dos países mais atraentes do mundo para quem procura uma oportunidade noutro país, mas sim pelas suas oportunidades de emprego que prospectivam uma alta qualidade de vida. As perspectivas salariais são elevadas, com as remunerações médias a rondarem os 4 mil euros brutos, chegando aos 8 mil para profissões qualificadas como Engenheiros, com cerca de 35% deste valor a ficar, no entanto, retido na fiscalidade. Em caso de doença, tem direito a baixa médica durante um ano, recebendo o salário por inteiro. A licença de maternidade dura um ano, onde é pago 80% do salário. Já no caso da paternidade, dura três meses e o salário é pago por inteiro.

Num país onde a taxa de desemprego pouco ultrapassa os 3 pontos percentuais, o recrutamento de Engenheiros é um dos principais atractivos desta nação escandinava, seguido de profissionais ligados ao Marketing e à Economia. A legislação norueguesa apenas prevê um máximo semanal de 37.5 horas de trabalho, sendo qualquer minuto extra obrigatoriamente pago aos trabalhadores. Por ano, o trabalhador tem direito a 25 dias de férias (ou 30, se tiver mais de 60 anos de idade).

 

Entusiasmado? Basta pegar no seu CV em inglês e começar a procurar. Onde? Deixamos uma lista de sites que o podem ajudar:

  1. www.nav.no (site da site da Administração do Trabalho e Previdência Social Norueguês)
  2. www.workinginnorway.no
  3. www.legejobber.no 
  4. www.monster.no
  5. www.karrierestart.no
  6. www.jobb24.no
  7. www.tu.no/karriere
  8. www.stillinger.no

 

Impostos

Como nas restantes nações escandinavas, a Noruega é um dos poucos países mundiais que mantém um sistema social baseado na providência. Quer isto dizer que  o estado Norueguês garante que todos, sem excepção, tenham acesso gratuito à saúde, educação, bem como a outras regalias sociais consideradas básicas. No entanto, estes serviços inteiramente gratuitos são pagos pelo labor dos cidadãos que, todos os anos, descontam parte do seu salário que a sociedade se auto-regule. Assim sendo, a carga tributária é elevada e pode atingir os 36% do salário bruto de um trabalhador.

Seguindo os valores da equidade social, quanto maior for o seu salário, maior será a listagem de descontos retidos na fonte. Ao trabalhador, apenas chega o montante líquido do salário, sendo toda a carga tributária paga directamente pela entidade patronal ao estado.

Os impostos são elevados e podem atingir 36% da sua massa salarial mas o estado garante serviços relacionados com educação, bem como um sistema público de saúde completamente gratuitos.

 

Habitação

Se está a pensar ir para a Noruega se ter garantido já um emprego garantido prepara-se, dado que o elevado custo de vida pode ser um entrave inicial bastante degradável. De facto, o custo de vida do país é altíssimo quando comparado com a realidade portuguesa, algo que se reflecte na habitação. Dificilmente encontra um T1 por menos de 1000 euros mensais, sendo ainda exigido dois a três meses pagos ao princípio. Por um quarto, dificilmente se encontra por menos de 500/600€ mensais.

Tendo em conta os elevados salários, estes preços são considerados “normais” para quem já trabalha na Noruega. Para quem vai sem garantias, estes preços exigem uma reflexão prévia.

Pode estudar o mercado de habitação a partir dos seguintes links:

  1. www.finn.no 
  2. www.hybel.no
  3. www.utleiemegleren.no

Quando encontrar casa, prepara-se para pagar dois a três meses de adiantamento. A Noruega é um destino atractivo mas precisará de algum conforto financeiro para se aventurar no país.

 

Educação

O sistema educativo norueguês é gratuito e obrigatório para todos os jovens com idade compreendida entre os 6 e os 16 anos. O sistema divide-se em três partes:  Ensino Primário (Barneskole, obrigatório dos 6 aos 13 anos), o ensino secundário inferior (Ungdomsskole, obrigatório dos 13 aos 16 anos), e o ensino secundário (Videregående Skole, dos 16 aos 19 anos).

 

Ensino Primário (Barneskole)

Onde tudo começa. As crianças são introduzidas ao sistema educativo e passam o primeiro ano a desenvolver-se com jogos educativos, estruturas sociais, aprendem o alfabeto, algumas habilidades matemática básicas e são introduzidos à língua inglesa. Nos anos seguintes, enfrentam um ensino multifacetado, onde a matemática, o norueguês, o inglês, a ciência, a estética, o desporto e a religião (todas as religiões são abordadas por igual) são uma realidade, complementadas no último ano do ensino primário pela geografia, história e outros conhecimentos sociais. Durante o ensino primário, os alunos não enfrentam qualquer tipo de avaliação quantitativa, apenas são sujeitos a comentários por parte dos professores que analisam o desenvolvimento do estudante.

 

Ensino Secundário Inferior (Ungdomsskole)

Será o nível que corresponde ao 2º e 3º ciclos em Portugal. Nesta fase, os alunos noruegueses enfrentam, pela primeira vez, avaliações quantitativas que vão definir o seu percurso mais tarde. Para além das disciplinas habituais no plano de estudos dos países ocidentais, há ainda uma aposta muito grande nas línguas, sendo disponibilizado o alemão, francês e o espanhol, bem como níveis técnicos de inglês.

 

Ensino secundário (Videregående Skole)

O último passo antes do ensino superior. Não é obrigatório mas é frequentado por uma esmagadora maioria dos estudantes noruegueses que o frequentam até aos 19 anos. Na Noruega, o ensino secundário público é frequentado por 93% dos estudantes, com apenas 7% a optarem pelo ensino privado.

 

Ensino Superior

A Noruega tem 6 Universidades, para além de institutos superiores especializados, faculdades públicas e institutos de ensino privados. O país providencia todos os programas educativos habituais, sendo necessária a conclusão do ensino secundário para poder integrar o ensino superior. Regra geral, os estudantes não pagam qualquer tipo de propinas ou mensalidades para frequentar o Ensino Superior.

 

Língua

Tal como em todos os países escandinavos, a grande maioria da população norueguesa domina o inglês. No entanto, será certamente valorizado  no mercado de trabalho local se dominar o norueguês (sueco ou dinamarquês, pela sua semelhança, também são valorizados) e sentir-se-á mais confortável no país. Até por isso, são muitas as empresas que oferecem cursos de norueguês a trabalhadores estrangeiros.

Caso parta da sua iniciativa, fique a saber que a mensalidade de um curso de norueguês pode perfeitamente atingir valores a rondar os 500 euros mensais, pelo que não será de descurar tirar um curso ainda em Portugal, caso haja essa possibilidade.

A grande maioria dos noruegueses é fluente em inglês mas o conhecimento (ainda que básico) da língua local valoriza-o no mercado de trabalho.

 

 Tirado daqui.

06.04.18

COMO VIM PARAR À NORUEGA?

Transcritório - Traduções Low-Cost

Resultado de imagem para noruega

Em 05/11/17 disse que o próximo post seria como tinha encontrado esta vaga farmacêutica... Dois posts e 3 meses depois (ups!) aqui estou eu, a escrever o bendito post.
Há várias maneiras de explicar porque é que quis ter esta aventura. A mais concisa é que eu sempre gostei de viajar e conhecer sítios/pessoas novas.

 

Como encontrei a vaga?

Certo dia, há cerca de um ano atrás, surgiu no facebook uma publicação sugerida da EURES PORTUGAL. Essa publicação informava que havia um recrutamento em aberto para Farmacêuticos para a Noruega, e se quiséssemos saber mais informações e condições, pediam-nos para preencher um formulário.
Preenchi o formulário e fui contactada para uma sessão de esclarecimento.
(Aconselho aos interessados a por um gosto nas páginas da EURES!!)

Facebook:  https://www.facebook.com/eures.pt
E-mail: eures-norway@iefp.pt ou eures@iefp.pt

Sobre a sessão de esclarecimento:

A sessão de esclarecimento englobou o recrutamento de farmacêuticos para a Noruega e Suécia, que ocorreu simultaneamente. Ambas as cadeias (Vitusapotek e Lloydsapotek) pertencem ao mesmo grupo.

A sessão tinha conselheiros da EURES de Portugal e da Noruega, recrutadores de ambos os países e colegas que estão neste momento a trabalhar para partilhar a experiência.
Deram um overview de ambos os países, como é viver na Noruega/Suécia, o que podemos esperar desta experiência, prazos, financiamento, e ainda tivemos tempo para colocar questões.

Eu gostei da sessão de esclarecimento. Acho que foi produtiva e recordo-me de ter ficado desde logo encantada pela Noruega... Todos os envolvidos foram sempre muito prestáveis e simpáticos.
O ano passado a sessão decorreu em Lisboa e no Porto. São os maiores centros de recrutamento de Farmacêuticos.

Mas gostaria de ver Coimbra na rota do recrutamento, também. Estes recrutamentos costumam ser publicitados na FFUP e FFUL, e enquanto estudei na FFUC, nunca soube disto, 2011-2015. (É uma dica, FFUC! ;) ) Saem grandes Farmacêuticos da FFUC... e aposto que é capaz de se encontrar um ou outro interessado na aventura escandinava.

Processo de Recrutamento:

No meu ano (2017), consistiu em enviar um e-mail CV e carta de motivação, em inglês.  E rezar para ser chamada para entrevista =)

A entrevista , realizada em Lisboa, foi uma experiência diferente, mas ao mesmo tempo semelhante a algumas de recrutamento que já tinha tido em Portugal.
Primeiro, é tudo em inglês. Mas mesmo que estejamos nervosos, perdemos o nervosismo rapidamente, porque os envolvidos estão descontraídos e são super simpáticos.
O processo consistiu em várias partes sempre bastante organizado. Falamos com diferentes recrutadores/farmacêuticos nas diversas etapas, mas sempre tudo muito tranquilo, sem pressão.
Não é complicado, e de certeza que a maior parte dos meus colegas Farmacêuticos já teve um processo semelhante, em Portugal.
A entrevista conta também com a presença da EURES Portugal, que nos acompanha no processo.

Após a seleção?

Bem, após a seleção... somos contactados caso tenhamos sido escolhidos. :) Eu fui telefonicamente.

E aí começa a grande aventura do.... NORSKKURS! (Curso de norueguês).

Para este post não ficar muito longo, o norskkurs fica para o próximo post :)

 

Tirado daqui.

06.03.18

IRLANDA PAGA PARA VOCÊ ESTUDAR LÁ DE GRAÇA, EM QUALQUER CURSO

Transcritório - Traduções Low-Cost

 

O governo da Irlanda está oferecendo bolsas de estudo para mestrado e doutorado totalmente gratuita. Detalhe, para qualquer curso.

Esse apoio financeiro só é possível através de um programa International Education Scholarships. Essa bolsa é especificamente destinada para alunos internacionais, a bolsa tem duração de um ano.

As Inscrições vão até 23 de março de 2018.

 

Referência na Educação

O objetivo do programa é tornar a Irlanda referência em educação, com isso atrair mais investimento e mais estudantes estrangeiros para as universidades do país.

Serão oferecidas a princípio 60 bolsas de estudo. Estudantes de graduação que pretendam fazer último ano em uma universidade irlandesa, ou interessados em uma pós-graduação.

Para o mestrado, é possível usar a bolsa como apoio e tem a duração de um ano. Já os doutorandos podem recorrer à iniciativa para arcar com os custos de um ano de pesquisa.

Tanto para graduação quanto para a pós, não há limitação de área do conhecimento.

 

Como se candidatar

O primeiro passo antes de inscrever no programa de bolsa, é candidatar-se à uma universidade de interesse.

É necessário enviar currículo essays, cartas de recomendação, testes de proficiência em inglês (como TOEFL e IELTS) e histórico acadêmico.

Uma vez que a universidade dê o aceite, será possível submeter os documentos para se candidatar a bolsa.

Os itens incluem um formulário com experiências acadêmicas, profissionais e voluntárias, um personal statement e duas cartas de recomendação.

Todos os documentos devem ser encaminhados ao e-mail GOI-IES2018@hea.ie, seguindo o modelo estabelecido pelo governo irlandês (*informações no site abaixo), até a data limite de 23 de março.

Para a seleção de quais alunos serão escolhidos para estudar na Irlanda, o governo vai se basear em características como excelência acadêmica e profissional, boas habilidades de comunicação e boas motivações para concorrer à bolsa.

 

Benefícios

Os benefícios da bolsa incluem  das taxas acadêmicas da universidade estrangeira, bem como apoio financeiro no valor de 10 mil dólares, para cobrir despesas do estudante e manutenção na Irlanda.

Para saber mais sobre o programa e sobre as possibilidades para estudar na Irlanda, acesse o site oficial da iniciativa.

 

Com informações da Exame

27.02.18

15 EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS COMUNS EM INGLÊS

Transcritório - Traduções Low-Cost

expressão em inglês: when pigs fly

 

Usar expressões em um idioma mostra que você tem domínio sobre aquela língua. Aqui, temos 15 expressões idiomáticas comuns em inglês para enriquecer seu vocabulário e fazer com que você pareça um nativo ao falar inglês.

  1. ‘The best of both worlds’ – o melhor de duas oportunidades diferentes ao mesmo tempo. Ex.: “By working part-time and looking after her kids two days a week she managed to get the best of both worlds.” (Trabalhando meio período e cuidando dos filhos duas vezes por semana, ela conseguiu ter o melhor dos dois mundos.)
  2. ‘Speak of the devil’ – é igual ao que dizemos em português, “falar do diabo”. Significa que você está falando de alguém e esta pessoa aparece naquela hora. Ex.: “Hi, Tom, speak of the devil, I was just telling Sara about your new car.” (Oi, Tom! Falando do diabo, eu estava contando para a Sara sobre seu carro novo.)
  3. ‘See eye to eye’ – concordar com alguém. Ex.: “They finally saw eye to eye on the business deal.” (Eles finalmente chegaram a um acordo para o negócio.)
  4. ‘Once in a blue moon’ – algo raríssimo. Ex.: “I only go to the cinema once in a blue moon.” (Vou ao cinema de vez em nunca.)
  5. ‘When pigs fly’ – algo que nunca vai acontecer. Ex.: “ When pigs fly she’ll tidy up her room.” (No dia de São Nunca, ela vai arrumar o quarto dela.)
  6. ‘To cost an arm and a leg’ – algo muito caro, que custa os olhos da cara. Ex.: “Fuel these days costs an arm and a leg.” (Combustível ultimamente custa os olhos da cara.)
  7. ‘A piece of cake’ – algo muito fácil. Ex.: “The English test was a piece of cake.” (A prova de inglês foi moleza.)
  8. ‘Let the cat out of the bag’ – revelar um segredo acidentalmente, deixar escapar. Ex.: “I let the cat out of the bag about their wedding plans.” (Deixei escapar os planos de casamento deles.)
  9. ‘To feel under the weather’ – sentir-se mal. Ex.: “I’m really feeling under the weather today; I have a terrible cold.” (Estou me sentindo mal hoje; estou com um resfriado fortíssimo.)
  10. ‘To kill two birds with one stone’ – resolver dois problemas ao mesmo tempo, matar dois coelhos numa cajadada só. Ex.: “By taking my dad on holiday, I killed two birds with one stone. I got to go away but also spend time with him.” (Ao sair de férias com meu pai, matei dois coelhos numa cajadada só. Saí um pouco e também passei um tempo com ele.)
  11. ‘To cut corners’ – fazer algo mal feito, de forma barata. Fazer nas coxas. Ex.: “They really cut corners when they built this bathroom; the shower is leaking.” (Eles fizeram nas coxas quando construíram esse banheiro; o chuveiro vaza.)
  12. ‘To add insult to injury’ – tornar algo ainda pior. Ex.: “To add insult to injury, the car drove off without stopping after knocking me off my bike.” (Para piorar a situação, o carro saiu sem parar depois de me derrubar da bicicleta.)
  13. ‘You can’t judge a book by its cover’ – não pode julgar pelas aparências. Ex.: “I thought this no-brand bread would be horrible; turns out you can’t judge a book by its cover.” (Achei que esse pão sem marca era horrível, acontece que não se pode julgar pelas aparências.)
  14. ‘Break a leg’ – é igual em português, diz-se “quebre a perna” para desejar sorte, em especial, antes de a pessoa se apresentar (principalmente entre atores). Ex.: “Break a leg, Sam, I’m sure your performance will be great.” (Quebre a perna, Sam, tenho certeza de que sua apresentação será ótima.)
  15. ‘To hit the nail on the head’ – descrever com precisão o que causou um problema, acertar em cheio. Ex.: “He hit the nail on the head when he said this company needs more HR support.” (Ele acertou em cheio quando disse que esta empresa precisa de mais apoio do RH.)

Vamos testar as expressões que você acabou de aprender? Leia as situações abaixo e veja qual expressão se encaixa em cada uma das frases. As respostas estão no fim. Conte para a gente quantas acertou!
A) I can’t afford this purse! It _______. I won’t be able to pay my rent!
B) His birthday was supposed to be a surprise! I can’t believe you _____. Now he knows!
C) Ha! John has been promising to paint the house for five years…. Maybe when _______.
D) I need to sign some papers at Jenny’s school anyway so I’ll pick her up for you too. Yeah, it’ll _______. 
E) I don’t really like going out to bars anymore. I only go _______.
F) I’m sorry I can’t come into work today. I’m ________. I have a sore throat and runny nose.
G) They ________ when installing the pipes for the house and now we have leaks only one month after purchasing it!
H) We missed our flight to Paris because the connecting flight was late and to ______ they made us pay for a new ticket as if it was our fault!
I) I can’t wait to see you perform on stage tonight! ______!
J) Jane is just never on time to work, it’s really annoying. Wow, ______ here she comes…
K) So we’re going to London, then Munich, then we will fly out of Athens, right? Great. I’m so glad to be traveling with someone I _______ with.
L) Wow, she found her dream man and has now landed an amazing job. She really does have ______.
M) OK, she might not be the most attractive but _________. I’m sure she is a sweetheart.
N) I have been trying to figure this out for ages. Thanks so much, you’re right. You _______.
O) I can’t believe that was our test. I think it was easier than some of our homework! It was a ______.

E aí, como você se saiu? Continue usando essas expressões idiomáticas quando for treinar seu inglês. E, se precisar de ajuda, pode pedir aqui nos comentários. Aproveite e baixe nosso guia grátis de expressões em inglês!

 

Answers:A-6, B-8, C-5, D-10, E-4,F- 9, G-11, H-12, I-14, J- 2, K-3, L-1, M-13, N-15,O- 7
16.02.18

SOU EMIGRANTE: ONDE APLICAR AS MINHAS REMESSAS?

Transcritório - Traduções Low-Cost

Com as taxas de juro historicamente baixas, os depósitos deixaram de ser atrativos para muitos portugueses que residem no estrangeiro. A pergunta que se impõe é: onde aplicar as remessas?

 

Resultado de imagem para notas euro

 

Dados de 2017 dizem que 2,3 milhões de portugueses vivem no estrangeiro, um número que representa 22% da população. Logo a seguir a Malta, Portugal é o país da Europa com mais emigrantes. Paralelamente, Portugal continua a ser o lugar escolhido por muitos emigrantes para guardar os rendimentos acumulados além-fronteiras.

No entanto, as taxas dos depósitos a níveis próximos de zero estão a fazer cair o valor das remessas dos emigrantes, agora cativados por outro tipo de aplicações.

A questão que se coloca é: onde aplicar as remessas, afinal?

1. Depósitos com juros de 2%?

Já lá vai o tempo em que os bancos ofereciam produtos especiais para emigrantes, com remunerações muito apetecíveis. Hoje, com as taxas em mínimos históricos, a maior parte das remunerações estão próximas de zero. Mas há exceções.
Ainda é possível encontrar bons depósitos. De acordo com os especialistas do site Economia e Finanças, estes eram os 3 melhores depósitos no final de 2017.
Considere avaliar as condições destes depósitos e ver se podem ser vantajosos, no seu caso.

      1. Instituição: Banco BEST

      Nome do depósito: 2,25% já
      TANB: 2,25%

      2. Instituição: BNI Europa     

      Nome do depósito: BNI Europa 5 anos
      TANB: 2,01%

3. Instituição: Banco BIG

      Nome do depósito: Super Depósito 
      TANB: 2%

2. Investir num imóvel

Se há setor que está no auge é o imobiliário. Portugal está na moda, e segundo os especialistas, vai continuar a estar. A loucura pela procura de imóveis por portugueses residentes no país, emigrantes e estrangeiros está a estimular a compra de casas e a fazer os preços subir. Os especialistas do mercado imobiliário explicam que o mercado mudou e que hoje tem 200 ou 300 mil euros no banco, prefere, por vezes, investir em imóveis.

Comprar uma casa em Lisboa, no Porto ou na Madeira, por exemplo, são dados como investimentos garantidos, seja para revenda, arrendamento local ou mesmo para ser a casa para a idade da reforma.

3. Investir na bolsa

Quem investiu na bolsa em 2017, teve aposta ganha. 2018 é uma incógnita, mas os especialistas anteveem que as boas perspetivas para a economia portuguesa deverão sustentar os ganhos das empresas portuguesas cotadas em bolsa e levar à subida das ações.

Há produtos de investimento para todos os gostos, perfis de investidor e com rendibilidades muito distintas, tal como seguros, fundos e PPR’s.

Se apesar de estar a viver fora de Portugal, acredita na economia portuguesa, no crescimento de um determinado setor ou empresa, considere arriscar, aconselhando-se junto de um especialista.

Em qualquer dos casos, guarde o conselho dos especialistas: por uma questão de segurança, é importante diversificar as suas poupanças, ou seja, não colocar todos os ovos no mesmo cesto.

 

Tirado daqui.

Siga as nossas novidades e veja as ofertas de emprego através do Facebook Veja os packs para cada profissão no nosso site: www.transcritorio.com