Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Transcritório - Traduções Low-Cost

Traduções oficiais. Línguas: Português, Inglês, Francês, Italiano, Alemão e Espanhol (incluindo catalão). Se precisar de outras línguas, contacte-nos.

Transcritório - Traduções Low-Cost

Traduções oficiais. Línguas: Português, Inglês, Francês, Italiano, Alemão e Espanhol (incluindo catalão). Se precisar de outras línguas, contacte-nos.

TRANSCRITÓRIO - TRADUÇÕES LOW-COST https://www.transcritorio.com/
28.11.17

LONDON PASS

Transcritório - Traduções Low-Cost

Foto de Londres para principiantes.

O passe que dá acesso a mais de 60 atrações pagas da cidade, costuma valer a pena para quem quer visitar 2-3 atrações pagas por dia. Com ele, você terá também uma série de comodidades, como filas preferenciais para algumas atrações, guia ilustrado com todas as informações sobre os locais e muito mais. Comprando até ao dia 30/11, você terá descontos de até 20% no valor do passe. Conheça e aproveite: http://bit.ly/CompreLondonPass (link de afiliado).

 

Temos uma página recheada com dicas e informações sobre Londres em Dezembro:  http://bit.ly/LondresEmDezembro

 

 

24.11.17

Manual de Orientação Vocacional - Gratuito

Transcritório - Traduções Low-Cost

 

Ebook do Manual de Orientação Vocacional é um documento prático na área da orientação vocacional. Reúne um conjunto de atividades consistentes para que os profissionais da área psicológica e educacional, bem como os pais/encarregados de educação, adquiram condição suficiente para fazerem o seu atendimento junto dos seus orientandos e educandos. Essas atividades estão inseridas dentro de um método, ou seja, de um processo racional e lógico de orientação vocacional - método Orienta.  Páginas do Ebook: 24 em formato PDF. Poderá fazer download no nosso site em: www.orientacao-vocacional.com

21.11.17

EMPREGO DE SONHO

Transcritório - Traduções Low-Cost

Cancun tornou-se num dos centros turísticos mais importantes do México.

Trata-se de mais um emprego de sonho, onde o candidato irá viver em Cancun, passear pelas praias, viver em resorts de luxo e, no final, ser pago por esta vida tão "cansativa". Qualquer pessoa, de qualquer país pode concorrer.

A Cancun.com anda à procura de um CEO - Cancun Experience Officer. Um cargo que vai permitir viver por seis meses, ininterruptamente, em Cancun, México, explorar a região e depois partilhar todas as experiências através de posts em blogs, vídeos e redes sociais. O salário mensal é de 10 mil dólares, o que equivale a cerca de 8.600 euros (à taxa de conversão atual).

Um emprego que vai ser muito "cansativo", tendo em conta que terá de participar em diversas atividades, sempre com acesso VIP, conhecer as praias e passear pela região. Tudo isto com zero despesas. Além disso, o CEO irá viver entre hotéis e resorts de luxo, outra parte muito "aborrecida"...

De acordo com a empresa, "a pessoa escolhida será a cara e irá refletir a personalidade de Cancun".

E agora, vamos à outra parte que também interessa. O que é preciso fazer e ter para concorrer a este emprego?

Em primeiro lugar, pede-se que seja uma pessoa divertida e descontraída e que tenha algum "jeito" para as redes sociais e ser capaz de efetuar um trabalho de grande qualidade.

Para concorrer, tem de criar um vídeo de um minuto a explicar porque deve ser o próximo CEO da Cancun.com, e enviá-lo até 17 de dezembro de 2017.

Os interessados devem ser maiores de 18 anos, ter um passaporte válido e disponibilidade para viver em Cancun de março a agosto de 2018, sem interrupções.

A primeira fase irá selecionar 100 candidatos que serão notificados ainda em dezembro, altura em que lhes será dada uma nova tarefa para continuarem a concorrer ao cargo. A 4 de janeiro de 2018 será feita uma nova seleção, reduzindo o número de candidatos para 50, e a 17 do mesmo mês a lista será encurtada para 5 finalistas.

Estes 5 candidatos irão então voar até Cancun para a última fase de seleção. O escolhido será anunciado a 31 de janeiro.

Para concorrer, basta visitar a página da Cancun.

 

17.11.17

185 EMPREGOS E UM DESERTO DE CANDIDATOS

Transcritório - Traduções Low-Cost

Resultado de imagem para curso superior ou trabalho

 

A ASM Industries está a investir €30 milhões numa nova fábrica, mas tem dificuldades em contratar

 

Em 2016, Adelino Costa Matos anunciou a intenção de contratar 50 novos profissionais, com qualificação em várias áreas essenciais à indústria metalomecânica, para a sua operação em Sever do Vouga. Mais de um ano e meio depois, dos 50 necessários ainda só conseguiu recrutar 25. “Não há candidatos para trabalhar nesta área”, desabafa o CEO, assegurando que já nem está preocupado em contratar “o candidato ideal, com as qualificações essenciais para a função”. É, garante, “difícil contratar até candidatos indiferenciados”.

 

A emigração de um número elevado de profissionais qualificados, “empurrados pela crise”, a que se assistiu na última década em Portugal é apenas uma parte de um problema que Adelino Costa Matos diz ser muito mais vasto. “Houve, e bem, nos últimos anos, uma grande aposta em elevar as qualificações dos portugueses e atrair um número crescente de jovens para as universidades. A verdade é que isto tem um preço, e estamos a pagá-lo com a ausência de profissionais com competências mais técnicas, colocando às empresas do sector da indústria, por exemplo, sérias dificuldades de contratação”, explica.

 

No espaço de um ano e meio, as necessidades de pessoal da ASM Industries aumentaram muito. Fruto do crescimento da empresa e dos novos investimentos que o grupo realizou e continua a realizar em solo nacional — com a construção de duas novas fábricas —, já não bastam 50 profissionais para garantir a produção. Além dos 25 profissionais que a ASM Industries ainda não conseguiu contratar para Sever do Vouga, a empresa precisa de 60 trabalhadores altamente qualificados para a nova linha de fabrico que está a abrir em Setúbal. Mais. Precisará de 100 quando, em 2019, entrar em atividade a nova fábrica do porto de Aveiro. Contas feitas, a empresa tem 185 oportunidades de emprego, mas lida com “um problema sério de falta de candidatos”, segundo Adelino Matos.

 

http://expresso.sapo.pt/economia/2017-11-04-185-empregos-e-um-deserto-de-candidatos

 

14.11.17

50 frases em inglês para se destacar em qualquer debate

Transcritório - Traduções Low-Cost

Hoje em dia, muitas provas de inglês têm uma parte escrita onde você tem que compor um ensaio sobre alguma questão. Estas são as frases que serão muito úteis para isso. Algumas delas podem lhe servir em uma conversa para convencer os outros de que você tem razão. 


Incrível.club espera que agora não seja difícil para você expressar seus argumentos para defender o seu ponto de vista e ser um mestre dos discursos.

 

 

https://incrivel.club/admiracao-curiosidades/50-frases-em-ingles-para-se-destacar-em-qualquer-debate-72155/

 

10.11.17

GOVERNO BRITÂNICO DIZ QUE DIREITOS DOS IMIGRANTES PORTUGUESES ESTÃO A SALVO

Transcritório - Traduções Low-Cost

 

"É impensável que os 400 mil portugueses no Reino Unido possam ser convidados a sair", afirmou o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico manifestou-se confiante numa solução que "proteja os direitos" dos cidadãos europeus no Reino Unido após o "Brexit" e instou a União Europeia a avançar nas negociações sobre a relação económica futura.

"Não consigo imaginar qualquer circunstância em que os 400 mil portugueses [no país] possam ser convidados a sair ou até serem desrespeitados. É impensável!", declarou Boris Johnson.

"É vital para ambos os lados que acertemos nisto, que protejamos os direitos e privilégios [dos cidadãos europeus] e tenho a certeza absoluta que conseguiremos. Essa é uma mensagem que eu tenho para os nossos amigos e parceiros na União Europeia e aqui em Lisboa", afirmou Boris Johnson, que, esta sexta-feira, realiza uma visita oficial a Portugal.

O chefe da diplomacia britânica defendeu que "agora é altura de continuar com essas negociações e prosseguir para a segunda fase, definirmos os direitos dos cidadãos e avançar para discutir a nossa nova parceria económica".

Boris Johnson falava no final de um encontro com o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, tendo como cenário as bandeiras do Reino Unido, de Portugal e da União Europeia.

"Há tanto que podemos fazer juntos", afirmou Johnson.

Também o ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, reafirmou a prioridade da salvaguarda dos direitos dos cidadãos portugueses no Reino Unido.

https://www.tsf.pt/internacional/interior/governo-britanico-diz-que-direitos-dos-imigrantes-portugueses-estao-a-salvo-8876944.html

 

07.11.17

MUDAR DE PAÍS COM CRIANÇAS

Transcritório - Traduções Low-Cost

Resultado de imagem para welcome to uk

 

Quando planeamos uma mudança de país surgem milhares dúvidas mas para quem é pai ou mãe há uma questão que se impõe perante todas as outras e implica uma série de outras questões: E as crianças? Como elas vão reagir? Será que se vão adaptar? Conseguirão aprender outra lingua? etc.

De tudo o que li e das experiências pessoais que fui ouvindo um facto parece unânime, independentemente das dificuldades uma mudança de país, de cultura e a aprendizagem de uma nova lingua é quase sempre sentida como positiva, como um acontecimento importante que acrescentou valor nas suas vidas e que lhes deu novas ferramentas.

As crianças reagem à mudança de país de forma diferente consoante a idade, a personalidade e obviamente que têm uma relação directa com a forma como nós pais reagimos.

Quanto mais nova for a criança mais fácil se torna a adaptação. Até aos 3/4 anos de idade mudar de país pode ter pouco impacto na criança uma vez que o seu mundo social se limita aos seus pais, irmãos e família mais próxima. Há no entanto mudanças para as quais devemos estar consciente para melhor responder. Por exemplo há sempre a alteração do espaço fisico, mudança de algumas rotinas, introdução de uma nova lingua e alteração e/ou diminuição das interacções familiares e sociais.
Entre os 4 e 9 anos haverá alguns desafios pois a criança tem uma maior consciência do mundo que a rodeia e é nesta idade que começa a estabelecer as primeiras amizades fora da esfera familiar. Como é a idade dos porquês muitas questões podem surgir e é importante saber responder dando o máximo de segurança possivel. É necessário ter cuidado ao partilhar as nossas angustias ou sentimentos negativos pois nesta idade as crianças absorvem tudo. Se sentirem que nós pais estamos em pânico ou que estamos tristes também elas ficarão em pânico e/ou tristes. Com isto não quero dizer que devemos só falar das coisas boas mas devemos tentar falar dos desafios e de como pensamos ultrapassá-los, por exemplo dizer que irão sentir saudades mas que poderão sempre falar com a familia por telefone ou skype.

É apartir dos 9 anos que a mudança para um outro pais (ou mesmo de cidade) se torna mais complicada. A criança começa a estabelecer fortes laços de amizades que se vão tornando cada vez mais importantes nas suas vidas. É o movimento de independência, é começo da procura da identidade fora do seio familiar. Assim uma mudança pode ser sentida com grande angustia e medo. Claro está que depende muito da personalidade da criança, se é extrovertida ou não, se tem facilidade em fazer novas amizades, a sua curiosidade pelo novo, como reage aos desafios. Para minimizar o impacto é importante envolvê-los no processo de mudança o mais cedo possível e ser o mais honesto e aberto possível.

A adolescência é considerada a idade mais dificil para a mudança de país, podendo existir por parte do adolescente oposição à decisão. Os amigos e a sua rede social tornam-se o centro da sua vida, pelo que a ideia de deixá-los é sentido quase como uma perda de si próprio. É também a idade onde aprovação social é muito importante e por isso o receio de não ser aceite na nova cidade, na nova escola, nos novos grupos é grande. Ser dificil não implica necessariamente que é impossivel, pois os adolescentes tem uma enorme capacidade de compreensão e poderão facilmente, dependendo do que motiva a mudança, entender as razões e estar aberto a essa mudança. Poderão encarar como um grande desafio e até um privilégio ir viver para outro pais. Uma vez mais depende da sua personalidade e da forma como nós pais introduzimos esta decisão.

Deixo algumas dicas, tiradas de vários sites e da experiência própria, para ajudar as crianças e vocês pais aquando da mudança para um novo país.

 

Antes da partida

  • Partilhar com a criança o mais cedo possível a decisão e envolvê-la no processo de mudança, tendo sempre em conta a sua idade. Dar espaço para que possa exprimir o que sente mas nunca deixar a decisão nas suas mãos. É natural que a criança mude de opinião de dia para dia. Um dia pode dizer que está muito contente por ir noutro dizer que não quer ir. Aceitar estas mudanças e tentar lidar de uma forma calma com as alterações de comportamento e humor.
  • Partilhar o máximo sobre o novo país e/ou cidade, por exemplo factos interessantes, locais a visitar, costumes e tradições. No caso de Londres há imensas coisas interessantes, museus, jardins, parques temáticos para visitar. Podemos explorar com elas a história de Inglaterra e do Reino Unido, os reis e rainhas, etc.
  • Procurar saber mais sobre o sistema de ensino, o tipo de escolas e se possível tentar explorar as escolas da área onde irão residir e partilhar isto com a criança. Por exemplo visitar os websites das escolas, quais as disciplinas, as actividades extra-curriculares, etc.
  • Expôr a criança à nova lingua, através de filmes, livros e musicas. No caso do inglês, começar a ver os filmes em inglês e sem legendas. Por exemplo para as crianças mais pequenas podemos  pesquisar quais os desenhos animados do país para que a criança se vá familiarizando com os mesmos.
  • Fazer uma lista de contactos dos amigos (emails, telefones, skype) e deixar com estes a nova morada e telefone.
  • Convidar a criança a escolher o que quer levar e se não for possível levar alguma das coisas que escolheu explicar as razões. Se recorrer a um empresa de transportes, levar junto com vocês os objectos mais afectivos, por exemplo o brinquedo favorito ou peluche de estimação.
  • Com crianças pequenas é importante saber se no país ou cidade para onde vão existem os productos alimentares, higiénicos e medicamentos de uso regular. Por exemplo aqui em Londres só se encontra papa Cérelac em lojas portuguesas, a maior parte dos supermercados não vendem.

 

Aquando da chegada

  • Organizar o espaço da criança com ela, tentando, sempre que possível, dispôr os meus objectos e brinquedos que tinham em casa. No caso dos adolescentes deixar estes decorarem o seu novo espaço.
  • Tentar manter as mesmas rotinas especialmente com as crianças mais novas. Não quer dizer que algumas destas rotinas não se venham a alterar com o tempo mas nos primeiros tempos elas são importantes pois transmitem segurança, estabilidade e continuidade.
  • Embora seja uma altura muita atarefada, é importante reservar tempo para explorar a zona de residência, por exemplo ir com elas ao supermercado, ao café, ir ao parque infantil.
  • Assim que puder ir conhecer a escola que irão frequentar e no caso das crianças mais velhas fazer com elas o caminho entre casa e escola várias vezes até que estejam à vontade para o fazerem sozinhas.
  • Logo que possível estabelecer contactos com a familia e amigos que ficaram. Penso que alguns pais por vezes cometem o erro de evitar o contacto com a ideia de que estarão a evitar o sofrimento. É importante que a criança sinta que apesar da distancia não perdeu os amigos nem a familia e que estes continuam a gostar dela e que também sentem saudades. No caso dos adolescentes é importante que tenham uma forma de comunicar com os seus amigos de uma forma mais privada, quer através do seu computador ou telemóvel.

 

Após o período de mudança

  • Incentivar as novas amizades, convidar os novos amigos para ir lá casa ou organizar actividades em conjunto. Com crianças mais novas tentar frequentar os parques-infantis, são um local de excelência para fazer novas amizades. Para crianças mais velha podemos sempre inscrevê-los em actividades extra-curriculares.
  • Se possível fazer uma viagem de regresso e nessa viagem organizar os encontros com a familia amigos.
  • Incentivar as visitas da familia e amigos que ficaram.
  • Evitar o isolamento ou manter contacto exclusivo com pessoas do nosso país de origem. É importante para a integração estabelecer contactos com pessoas locais pois são estas que nos irão transmitir de uma forma mais verdadeira os costumes e a cultura deste nosso novo país.

E mais importante que tudo é estar preparado e consciente que uma mudança de país acarreta medos, angustias, excitação e que a estes sentimentos serão expressos através dos comportamentos. Estar preparado para aceitar os momentos de tristeza e de revolta e manter sempre o diálogo aberto por forma a que a criança/adolescente saiba que os seus sentimentos são valorizados e respeitados.

É igualmente importante a forma como nós pais reagimos à mudança e seja qual for o motivo para a tomada de decisão deveremos encará-la com entusiasmo e de forma positiva. Mais do que nunca, num novo pais, somos a sua rede de suporte, uma rede que eles precisam de sentir que está bem segura e que não os irá deixar cair.

 

Tirado daqui:

https://viveremlondresuk.wordpress.com/2013/08/18/mudar-de-pais-com-criancas/

 

03.11.17

SEGURANÇA SOCIAL EM INGLATERRA

Transcritório - Traduções Low-Cost

Resultado de imagem para National Insurance Number

Todas as pessoas que trabalham no Reino Unido são obrigadas a ter um número da segurança social – National Insurance Number (NI).

Para se inscrever é necessário ligar para o Jobcenter Plus Application Line (0845 600 0643) e marcar uma entrevista para o Jobcenter da área de residência. Atenção que não é o mesmo jobcenter no qual nos inscrevemos para a procura de emprego. O tempo de espera penso que é variável, no meu caso a entrevista foi marcada em dois dias. Aquando da marcação da entrevista somos informados de quais os documentos a apresentar, normalmente: cartão de cidadão/passaporte, prova de residência e o contrato de trabalho (se existir). O NI é depois enviado para casa.

A taxa do NI é 12% para quem recebe entre £146 e 817 por semana, ou seja £633 e 3.540 por mês. Acima disto é adicionado uma taxa de 2%.

A saber mais:

National Insurance

 

Tirado daqui:

https://viveremlondresuk.wordpress.com/2012/10/18/seguranca-social/

 

Siga as nossas novidades e veja as ofertas de emprego através do Facebook Veja os packs para cada profissão no nosso site: www.transcritorio.com